Interview with OVERDOSE BRAIN


16 Nov

!!!SPEED/THRASH METAL FROM BRAZIL!!!

Welcome to the FILTHY DOGS OF METAL Webzine.

Conte-nos algumas coisas sobre OVERDOSE BRAIN (membros, ano de início, etc.)
Saudações, irmãos. primeiramente dizer que é uma honra receber seu contato. antes de mais nada eu Sou o Thiago "Primitivo", vocalista da banda e responderei em nome da mesma. E também pedir desculpas pelo demora em responder, estavámos cumprindo algumas agenda de gravações e shows. A banda foi formada em meados de 2016/17, o Alisson "Gago Hell" é o único membro remanescente do início da empreitada. era uma banda bastante caótica no sentido ruim da palavra mesmo, algumas apresentações sem estar devidamente ensaiada criou uma má imagem da banda. Foi quando em 2018 o Gago Hell reformulou toda a banda e convidou a mim, o baterista Wanderson Helldrummer e o guitarrista Rodrigo Holt. Com essa formação fizemos apenas um show na Tour dos Cearenses do Blasfemador, banda de speed thrash aqui da região. Logo após esse show o Rodrigo Holt sai deixa o posto de guitarrista e é substituído por Claudio "Barbanegra". É nesse momento que a banda encontra usa melhor forma e o ano de 2019 foi excelente para a banda. Mesmo sem nenhum disco lançado tocamos em várias cidades da nossa região e estados vizinhos. 2020 lançamos o disco "Exército Metal" e após duas apresentações de divulgação do disco veio a pandemia e os trabalhos foram interrompidos por um tempo.

Em 2020 você lançou seu EP “Exército Metal”. Qual foi o feedback do seu público e da imprensa?
Exército Metal foi surpreendente até mesmo pra mim, pois eu não esperava que agradasse tanto devido o início nada promissor que a banda teve. Porém, a repercussão na mídia brasileira foi excelente. Fora do Brasil tem ganhado notoriedade recentemente, pra uma banda que canta na língua nativa está muito bom, pois sabemos que a linguagem mundial do rock n roll em geral é o inglês.

“Selo” ou “faça você mesmo”, e por quê?
Ambos. Inicialmente o "faça você mesmo". Toda banda em inicio tem que mostrar à que veio, tem que suar a camisa, mostrar que veio pra ficar, não é fácil e nem deve ser. Todos os dias nascem bandas novas, você é só mais um grão de areia naquele meio buscando seu lugar, então tem de trabalhar e dar duro. Mas depois de tudo isso, você não pode se dar ao luxo de negar um selo, negar uma gravadora, é a valorização do teu trabalho, das correrias que a banda fez pra chegar ali. Obviamente sem esquecer de quem tu és, não esquecer do undergrund e não sair dele. Temos grandes e bons selos undergrounds espalhados por todos os lados, não precisa procurar por mídias fora do nosso meio.

Você prefere vinil, fita, CD ou formato digital e por que isso?
Existe muito saudosismo em cima das mídias antigas, o que não é ruim, mas existe uma linha tênue que divide esses 2 mundos, a antiga e a moderna. eu sou dos anos 80, cresci com as fitas, com os vinis, vi os CD's chegarem e lembro que aquele universo dos CD’s também era legal. A modernidade não precisa matar o antigo, em contrapartida o antigo não precisa parar o novo. o que tem que mudar é a mentalidade de quem consome. O grande problema da modernidade é que ela se muitas vezes é uma modernidade liquida, descartável, o fácil acaba muito por perder o valor e a importância. Mas aqui na nossa região a molecada nova têm dado muito valor aos materiais físicos, sejam eles vinis, CD's ou fitas. por outro lado, o formato digital tem o lado do alcance maior que é super positivo. Acho que ambos podem conviver, desde que não se esqueçam se comprar os materiais físicos das bandas, elas precisam, o underground precisa disso pra sobreviver e se movimentar.

Seu estilo de música é Speed / Thrash Metal. Quais são suas principais influências (artistas / bandas favoritos etc.)
Entendemos que é uma honra falar o nome das bandas que nos influenciaram ao longo de nossa caminhada, portanto é com muito orgulho que falamos que as bandas que nos influenciam são: Eternal Violence, Hell Poison, Paranoise, Blasfemador, Flagelador, Selvageria, comando nuclear, Murdeth, Velho, Farscape, Violator, Cemitério e muitas outras, poderia passar um dia falando (Risos)

Quais coisas você acha que uma banda deve sacrificar para ter sucesso? Você já sacrificou alguma coisa em sua vida por um futuro melhor para sua banda?
Que headbanger nunca largou um emprego pra ir fazer aquele show que ele achava que seria o melhor da vida? (risos) Enfim, a vida aqui no terceiro mundo não é fácil, e aqui no Brasil nos últimos anos têm ficado cada vez mais difícil por conta de um governo que flerta com o fascismo, desejamos uma morte lenta e dolorosa à todos eles. aqui é tudo muito caro e nossa moeda cada vez mais desvalorizada, de modo que temos que comprometer nosso orçamento diariamente, abrir de muita coisa em nossas vidas pessoais pra investir na banda e no underground. Nem sempre familiares entendem, vez ou outra causa problemas entre familiares e cônjuges. Acredito que seja um problema da maioria dos headbangers ao redor do mundo, mas pra quem habita num país como o nosso os problemas se potencializam. Assim sendo, ou você abre mão de muita pra sua banda "dar certo", ou jamais saíra da sua cidade.

Descreva seu show ao vivo ideal como uma banda. Você já experimentou isso?
Sempre fui do mosh, sempre gostei da bagunça juvenil que tem no thrash metal e seus derivados, enquanto houver disposição fisica eu estarei la. Era desse tipo de show que eu gostava quando adolescente e é desse tipo de show que gosto ainda enquanto músico. Os shows da Overdose Brain são os mais caóticos (agora no bom sentido) possíveis. geralmente tocamos levemente alcoolizados, o que nunca prejudicou uma apresentação nossa, se isso um dia acontecer iremos repensar nossa conduta. sempre tem uma galera subindo ao palco, cantando nossas músicas, fazendo stage dive e um mosh que não para um só segundo como foi no festival que tocamos no último sábado dia 30/10. Esse é um show ao vivo que considero ideal e experimento em quase todos os eventos que frequento.

Quais atributos você acha que uma nova banda de Thrash Metal deve ter para ganhar identidade e ser única?
Acho que deve ter muito cuidado entre se influenciar por algumas bandas e/ou virar uma cópia delas. Eu não sou um músico estudado, aprendi tocar sozinho em casa com algumas revistas, hoje na overdose brain eu sou vocalista, mas nunca fui vocalista antes em nenhuma banda, eu tocava contrabaixo nas outras bandas que tive. Não fazia nem ideia de como iria cantar, eu só sabia que não queria que a minha voz soasse como 99% das bandas de speed, então eu só deixei sair naturalmente de dentro e aquilo viesse seria a voz da overdose brain, em tudo que faço é assim. Então uma identidade própria vem da alma, do sentimento. muitas bandas são tecnicamente elevadas, outras são sentimentalmente elevadas, eu fico com a segunda. Sabe quando você escuta aquele speed thrash que só 3 riffs mas que te arrepia e da vontade de sair quebrando tudo na sala da sua casa... é disso que eu to falando. Um artista brasileiro chamado Chico Science disse em uma de suas músicas "Modernizar o passado é uma evolução musical, cadê as notas que estavam aqui? Não preciso delas, basta deixar tudo soando bem aos ouvidos". assim as chances de você ter uma identidade e ser único se tornam bem maiores, pra não dizer chances absolutas.

Você acredita que as plataformas digitais ajudam as novas bandas de Thrash Metal? Qual, você acha, é a forma ideal de uma banda divulgar seu trabalho?
Por mais que tentamos resistir, não dá pra negar a realidade das mídias digitais. A primeira coisa que nos perguntam é se nossas músicas estão disponíveis nas plataformas digitais. Mas como disse acima, um não precisa destruir o outro. Nós estamos nas plataformas digitais, mas temos os nossos discos físicos, futuramente poderemos lançar em fitas também, quem sabe vinil, estaremos em todos os lugares, mas sempre no underground.

Conte-nos algumas coisas sobre a nova cena do metal underground no Brasil (bandas, fanzines, webzines, clubes de metal etc.)
Temos sempre aquele saudosismo de achar que décadas passadas foram sempre melhores. Mas sempre tenho o cuidado de acompanhar o que acontecendo hoje, e na verdade a cena brasileira sempre foi forte e continua muito forte. talvez algumas baixas em alguns períodos pontuais, mas sempre por cima. Temos excelentes zines locais como a Pecatorium Zine, Armagedoon Zine, Apocalipse Manifesto Zine, Orgiástico Zine, Hecatombe Zine, Visão Underground Zine, Infektor Self zine, Duas Páginas de Atenção Zine. e isso são só alguns zines aqui da nossa cidade de excelente qualidade, feitos por pessoas que vivem o underground.

Você sabe alguma coisa sobre a cena do metal helênico?
O único contato que tive com o metal helênico foi quando a banda Cerberus Bestial saiu em um zine Grego, mas não vou inventar, fora isso não conheço. por favor nos indique algumas bandas e zines do metal helênico, será uma honra compartilhar por aqui.

Quais são seus planos futuros?
Lançar o disco novo no início do próximo ano e pegar a estrada para promover o mesmo.

Muito obrigado pelo seu tempo e continue com o bom trabalho! O encerramento é seu.
O underground é mesmo mágico, essa interação não tem preço, realmente estamos todos conectados ao redor do mundo por um sentimento: UNDERGROUND! Muito Obrigado, Stavros. Obrigado pela oportunidade e por este espaço cedido a nós para que os headbangers grego e do mundo conheçam um pouco mais do metal cantado em português. Vida longa ao Dogs Of Metal, vida longa ao metal helênico e vida longa ao underground mundial. Forte abraço. Thiago Primitivo (Vocals).

By Steve the Filthy Dog.

Photo Credit: Underground fotografia metal bands.

OVERDOSE BRAIN CONTACT:

https://www.facebook.com/Overdose-brain-543012845903667/

https://www.instagram.com/overdosebrain/


Comments
* The email will not be published on the website.